Infográfico: 5 passos para migrar sua empresa para nuvem

Voltar
5 passos para migrar sua empresa para nuvem
Autor: Juarez Fortes Categoria: Escritório em Nuvem, Serviços em nuvem Comentários: Um Comentário

Infográfico: 5 passos para migrar sua empresa para nuvem

A migração para a nuvem é sempre um marco para as empresas, sejam elas grandes ou pequenas. Afinal, trata-se da consolidação, modernização e preparação para os futuros desafios do negócio. Por isso, desenvolvemos este post e infográfico reunindo os 5 passos para migrar sua empresa para nuvem. Vamos lá?

Quando se fala sobre “nuvem” ou “cloud” entre as Pequenas e Médias Empresas, o tema ainda parece cercado por certa aura de mistério. Apesar da popularização crescente, os ambientes de Escritório em Nuvem e facilidades como trabalho remoto e home office ainda são inovações relativamente recentes no mercado brasileiro.

Por isso, nós aqui da Rastek Soluções vamos buscar te trazer o máximo de informações para tirar todas as suas dúvidas sobre o que é preciso para migrar a sua empresa para nuvem.

5 passos para migrar sua empresa para nuvem

1. Questione: avalie todos os aspectos e necessidades do projeto

O primeiro passo para um projeto de migração para a nuvem é sempre a análise. Cada negócio tem particularidades e necessidades exclusivas. Portanto, não existe um “modelo de migração” que possa simplesmente ser copiado e aplicado a diversas empresas.

Então, é preciso avaliar os pontos positivos e negativos da migração de cada serviço para a nuvem. A avaliação também deve fazer um levantamento da criticidade dos serviços para o negócio, em ordem decrescente de importância. Este passo é estrategicamente importante, pois também poder integrar os Planos Estratégicos de TI (PETI) e Plano de Continuidade do Negócio (PCN).

Dando seguimento a esta fase de avaliações, é preciso analisar se a infraestrutura básica de TI está preparada para a migração para a nuvem. Afinal, os links de internet, rede interna e capacidade dos equipamentos precisam estar em conformidade com os requisitos mínimos necessários para a implementação e bom desempenho do ambiente em nuvem.

2. Defina: selecione o tipo de nuvem a ser utilizada

Cada empresa tem suas próprias particularidades. Por isso, os ambientes em nuvem precisam ser altamente adaptáveis, com recursos e características que se adequem às necessidades específicas de cada negócio. Para este infográfico, separamos quatro modelos:

a) On-premise

O servidor on-premise é estruturado localmente, geralmente dentro da própria empresa, e é também chamado de Local Server. Portanto, ao avaliar este modelo, é preciso levar em consideração os ajustes necessários ao ambiente físico onde ficará localizado, além de protocolos de segurança e gestão de identidade e acesso.

Este modelo requer investimentos em aquisição de hardware e softwares, além da criação de procedimentos internos para a operação e manutenção. O Local Server é o modelo mais adaptável e personalizável da lista, pois é planejado, configurado e estruturado para atender especificamente às necessidades da empresa em questão, preferencialmente a longo prazo.

Além disso, tem como principal vantagem o total controle sobre escolha de sistemas, hardwares, softwares e gestão interna de todos os recursos disponíveis.

b) IaaS – Infrastructure as a Service (Infraestrutura como Serviço)

O modelo IAAS – Infraestrutura Como Serviço é um modelo baseado em Cloud Server, ou seja, Servidor em Nuvem. O Cloud Server é um ambiente de computação virtualizado, como se fosse um “computador virtual”. Cada Cloud Server pode armazenar um número X de “computadores virtuais”.

Então, as empresas donas de Cloud Servers oferecem estes “computadores virtuais” a quem queira “alugá-los”. Em uma analogia visual, podemos imaginar uma “lan house onde cada usuário é uma empresa”.

Portanto, em um contrato IAAS a empresa contratada fornece um “computador virtual” dentro de um Cloud Server acessado via Internet. Toda a infraestrutura é fornecida e gerenciada pela empresa contratada.

As principais vantagens de um modelo IAAS são: escalabilidade, variabilidade e custo reduzido. Em um mês, você pode utilizar servidores virtuais “mais fracos”, armazenando poucos dados e com pouco tráfego. E no mês seguinte é possível dobrar a capacidade dos serviços, caso haja necessidade. Funciona mais ou menos como incluir e remover canais da sua grade de canais da TV a cabo.

Além disso, você não precisa se preocupar com a aquisição, operação e manutenção de um servidor local, reduzindo custos.

c) PaaS – Platform as a Service (Plataforma como Serviço)

O modelo PAAS – Plataforma Como Serviço é, em geral, uma solução complementar para uso específico. É muito utilizado para prover serviços e aplicações via Internet, por exemplo. Nesta modalidade, o Cloud Server disponibiliza não um “computador virtual”, mas uma “plataforma virtual” com recursos de processamento e softwares pré-determinados combinados na contratação.

É muito utilizado por equipes de desenvolvedores quando estão programando aplicativos em conjunto e simultaneamente. Assim, a Plataforma Como Serviço é capaz de prover exatamente os softwares e recursos requisitados pelos desenvolvedores, bem como tudo o que for necessário para um bom desempenho do serviço ou aplicação.

Tem como principal vantagem o foco total no desenvolvimento, já que gerenciamento, atualização e manutenção da infraestrutura ficam a cargo da empresa prestadora do serviço PAAS. Outro ponto positivo é que este modelo de nuvem já conta com diversos recursos de desenvolvimento de software disponíveis.

d) SaaS – Software as a Service (Software como Serviço)

Todo mundo que acessa a Internet conhece algum SaaS. Todo mundo mesmo. No modelo Software Como Serviço você tem acesso a um programa (ou suíte de programas), aplicativo ou outro tipo de recurso, sem a necessidade de comprar uma licença para uso deste programa ou aplicativo.

A maioria dos SaaS conta com modelos por assinatura, embora alguns optem por oferecer modelos de contrato gratuitos ou freemium. Os programas ou aplicativos SaaS são acessados via Internet, garantindo assim a melhora na produtividade do trabalho em equipe e a acessibilidade de qualquer lugar, a partir de qualquer dispositivo.

Serviços como Google Docs e Office 365, Google Drive e OneDrive são ótimos exemplos de SaaS. Além destes, podemos citar também a Adobe Creative Cloud o serviço Canva, ou até mesmo Facebook e Twitter como alguns dos diversos exemplos de Software Como Serviço rodando na nuvem.

3. Escolha: reúna informações e selecione seu fornecedor

A migração da sua empresa para nuvem é um passo estratégico. E como tal, não pode ser feito às pressas ou com informações suficientes. Por isso, separamos algumas dicas para ajudar na escolha de um fornecedor para prestar os serviços de nuvem.

a) Defina os critérios de escolha

Alguns fatores podem ser determinantes para a sua tomada de decisão. Portanto, avalie e compare algumas características dos fornecedores como capacidade, disponibilidade, redundância geográfica, etc.

b) Avalie a capacidade do fornecedor

É preciso verificar se a capacidade e os tipos de SLA (Service Level Agreement – Acordo de Nível de Serviço) correspondem às expectativas e necessidades da empresa. É indispensável que o fornecedor de serviços de nuvem seja capaz de armazenar e manter disponíveis sistemas e demais dados da empresa sem engasgos ou solavancos sempre que necessário.

Além disso, também é de extrema importância avaliar a capacidade e velocidade de recuperação do fornecedor caso haja problemas em disponibilizar o serviço.

c) Pesquise

Não se atenha apenas às informações passadas pelos fornecedores: busque informações também no mercado. Parceiros, fornecedores, clientes e até mesmo sondar concorrentes é válido nesta hora. Afinal, a validação social é uma parte muito importante da análise de qualquer fornecedor.

Um breve contato com alguns dos clientes exibidos no portfolio de um provedor de serviços de nuvem podem ser bastante reveladores quanto à qualidade e níveis de satisfação com o serviço. E, se possível, é recomendável trocar experiências com outros gestores, empreendedores e administradores parceiros que já tenham migrado suas empresas para a nuvem.

d) Teste o serviço

Praticamente todos os fornecedores de Cloud Server oferecem períodos gratuitos de teste para avaliação dos serviços. Portanto, faça bom uso do tempo de trial disponível, entre em contato com o suporte, solicite informações. Busque o máximo de profundidade em sua experiência como cliente durante o período de teste. Afinal, em geral esta é a fase que vai definir a tomada de decisão final.

E lembre-se: por mais que o primeiro serviço testado tenha lhe agradado, não deixe de avaliar pelo menos outras duas opções.

4. Visualize: um planejamento bem realizado evita problemas

Como em qualquer projeto, o planejamento para migrar a sua empresa para nuvem é crucial. Após a avaliação da empresa e análise criteriosa de fornecedores, chegou a hora de preparar tudo para o grande salto. Separamos os sete principais pontos em tópicos para facilitar a visualização.

  1. Defina quais áreas, serviços e sistemas serão migrados, e quando isso será feito. O melhor caminho é a migração gradativa. Pode ser muito arriscado migrar tudo de uma vez.
  2. Realize um planejamento documentado do processo de migração. Isso permite que todos os atores envolvidos no projeto tenham acesso às informações de forma clara e registrada.
  3. Avise os usuários com antecedência. Realize treinamentos e informe claramente sobre a duração da janela de migração.
  4. Faça backups. Guarde mais de uma cópia de segurança dos dados para o caso de as coisas darem errado.
  5. Teste os backups. Backups não testados têm grandes chances de não funcionarem quando for preciso. Sempre teste seus backups.
  6. Tenha uma estratégia clara de retorno. Se as coisas saírem dos trilhos, é preciso ter um mapa claro, objetivo e bem documentado apontando como voltar atrás.
  7. Prepare sua infraestrutura interna de TI. Verifique a capacidade dos links de internet e suas respectivas redundâncias. Faça os testes e ajustes necessários.

5. Migre: trate a migração de sua empresa para a nuvem como um projeto

Depois das diversas análises, testes, planos e ajustes, finalmente chegou a hora de migrar a sua empresa para nuvem. Neste momento, considere encarar a migração como um projeto da empresa. Esta abordagem facilita o dimensionamento das expectativas, além de apontar indicadores claros para a mensuração dos níveis de sucesso do projeto.

Tenha metas claras

Todo projeto requer metas e indicadores claros que apontem se o projeto está seguindo o rumo desejado ou se são necessários ajustes. Com o processo de migração para a nuvem não é diferente. Por isso, mantenha um acompanhamento detalhado do andamento do projeto, da implementação à homologação.

Se der errado, volte atrás rápido

Pior do que errar é insistir no erro. Se o projeto de migração falhou, é melhor desfazer as ações e retornar ao estágio anterior. Insistir na continuidade pode levar até a uma paralisação dos serviços da empresa, com impactos imprevisíveis à imagem e às finanças da empresa. Portanto, em casos como este é melhor voltar atrás, reavaliar o que deu errado e reiniciar o projeto do zero.

Se der certo, avalie as metas e defina métricas

Após migrar a sua empresa para nuvem com sucesso, é hora de avaliar se os índices e metas do projeto de migração foram alcançados. E depois disso, é hora de montar todo um novo conjunto de métricas e metas a serem avaliadas pós-migração. Estes indicadores variam muito de acordo com o tipo de negócio, mas algumas podem ser comuns a todos como ganhos de produtividade, aumento de lucratividade, satisfação dos usuários, entre outros.

6. Rastek Soluções: Avaliação Gratuita de TI para migrar a sua empresa para nuvem

Migrar a sua empresa para a nuvem pode ser, sim, um projeto complexo. Afinal, a quantidade de avaliações, análises, planejamentos e documentações requisitadas podem até soar um pouco intimidadoras ao primeiro contato. Além disso, um grande patrimônio da empresa – dados sensíveis, planilhas, documentos, registros históricos – serão recriados, agora prontos para o futuro. A migração é, sim, um grande passo.

Este passo pode ser complexo, mas não precisa ser complicado, nem doloroso. E é por isso que é tão importante contar com um parceiro especializado para atuar ativamente na condução desta jornada. Desde as avaliações iniciais até o treinamento final para ensinar aos usuários como acessar seus Escritórios em Nuvem e trabalhar remotamente a partir de seus home offices.

Conte conosco

A equipe de especialistas da Rastek Soluções conta com mais de 12 anos de mercado. Já realizamos inúmeros projetos de migração para a nuvem, para empresas dos mais variados portes e ramos de atuação. Seguindo a nossa diretriz de ajudar empresas e gestores a otimizarem a produtividade e lucratividade de suas operações através do bom uso da tecnologia, oferecemos uma Avaliação Gratuita de TI para ajudar a dimensionar se as empresas estão prontas para migrar para a nuvem imediatamente ou que tipo de ajustes precisam ser feitos.

Basta preencher o formulário abaixo e aguardar o contato da nossa equipe!

 


Cinco passos para migrar sua empresa para a nuvem Rastek Soluções

Leia também:

Microsoft 365 ou Google GSuite: qual é o melhor para sua empresa?

Compartilhar Post

Comentário (1)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar